Fechados desde de março, cinemas, teatros e casas de espetáculo em Belo Horizonte vão reabrir as portas a partir do dia 31 de outubro, conforme decreto assinado pelo prefeito Alexandre Kalil, publicado nesta sexta-feira (16) no Diário Oficial do Município (DOM).

O documento aponta que não haverá restrições de horário para estes estabelecimentos, sendo permitido, ainda, o funcionamento de cinemas que estão nos interiores de shoppings na capital. Feiras de negócios e os congressos poderão voltar a ser realizados na capital mineira já no dia 30 de novembro.

Museus e galerias já podem reabrir as portas. Além disso, o decreto amplia os horários do comércio na metrópole. Lojas de rua, centros comerciais e galerias passam a receber os clientes entre 10h e 19h, de segunda a sexta-feira. Aos sábados, o funcionamento será das 9h às 18h.

Os shoppings centers também ganham uma hora a mais de funcionamento, entre 12h e 21h. O shopping Cidade, no Centro da capital, é tratado como exceção, e tem liberação para funcionar no mesmo horário do comércio de rua. Já os supermercados podem abrir as portas das 7h às 22h.

 

Cinemas e teatros

Os protocolos para cinemas, teatros e feiras de negócios ainda não foram publicados no site da prefeitura, mas os setores já podem se planejar com textos provisórios, que ainda demandam aprovação da administração municipal.

No site da prefeitura, há uma proposta de protocolo para cinemas e teatros, recomendando capacidade máxima de ocupação limitada a 50% dos assentos. É permitida a venda de ingressos para assentos sem distanciamento para grupos de no máximo quatro pessoas, desde que os ingressos sejam adquiridos por uma mesma pessoa.

Deve-se escalonar a saída por fileiras de assentos, a fim de evitar aglomerações em escadas, portas e corredores. A saída deverá iniciar pelas fileiras mais próximas da porta, terminando nas mais distantes, evitando assim o cruzamento entre pessoas.

O público deverá permanecer de máscara durante todo o tempo, dentro e fora das salas de apresentação, exceto quando estiver em momento de alimentação. Também foi vedada estratégias que retardam a saída do público, como café, poltronas para espera e áreas infantis.

 

Feiras de negócio

Para feiras de negócios e congressos, também foi disponibilizada uma proposta de protocolo. A orientação para os eventos é de capacidade máxima de uma pessoa a cada sete metros quadrados, incluindo os funcionários. Sempre que possível, deve-se adotar o agendamento de horário para o público, de maneira que a entrada e a saída se dêem de forma escalonada. Os estandes deverão garantir distanciamento de pelo menos um metro entre as pessoas.

Em caso de montagens e produtos para exposição, a organização deverá ter estrutura para descontaminação destes itens. O evento deverá garantir ainda um banheiro para cada 25 pessoas.

 

Museus e galerias

Para museus, galerias e exposições, a prefeitura recomenda a adoção de medidas para assegurar antecipadamente a limitação de capacidade de pessoas ao mesmo tempo no local, como agendamento de visitas por telefone ou pela internet, venda de ingressos e retirada de senhas antecipadas, com controle de horário. A restrição é de uma pessoa a cada cinco metros quadrados.

Deve-se ainda restringir o acesso a obras de arte ou itens de exposição manipuláveis, sinalizando e comunicando a impossibilidade de uso. A utilização de telas sensíveis ao toque fica proibida em exposições.

Fonte: Hoje em Dia