Não deu para o Cruzeiro. Apesar da vitória por 1 a 0 sobre a Caldense a Raposa foi eliminada do Campeonato Mineiro e está fora da fase final do estadual, um feito negativo que não acontecia há 62 anos. A partida aconteceu na noite desta quinta-feira, no estádio Ronaldo Junqueira, o Ronaldão, em Poços de Caldas, pela 11ª rodada do Estadual.

O gol do Cruzeiro, insuficiente, já que o time precisava de uma vitória por pelo menos três gols de diferença, foi marcado por Régis no primeiro tempo.

Agora a equipe estrelada disputará o Troféu Inconfidência. Como ficou em quinto lugar o adversário do time azul será o Patrocinense.

 

O jogo

O Cruzeiro entrou em campo com a árdua missão de vencer a Caldense por três gols de diferença. Essa era a única maneira da equipe de Enderson Moreira passar de fase, chegar às semifinais, e não quebrar a sequência histórica de integrar a lista das classificados ao mata-mata do Campeonato.

E pensando nisso, quem viu o início do jogo se animou, já que o Cruzeiro mostrou bom volume de jogo no primeiro tempo, dominou metade da etapa inicial e até abriu o placar relativamente cedo.

Régis, aos 14 minutos, abriu o placar para o Cruzeiro após pegar a sobra da rebatida da zaga da Veterana: 1 a 0.

Depois do gol o Cruzeiro caiu muito de produção, desorganizou o seu sistema tático e a Caldense passou a gostar mais do jogo, frequentando mais o ataque. Essa desorganização celeste facilitou as coisas para o mandante, que jogava com o regulamento debaixo do braço.

Nem mesmo um ídolo conseguiu ficar em campo mais tempo para ajudar. Por lesão o atacante Marcelo Moreno saiu aos 37 minutos da primeira etapa.

Uma das esperanças da Raposa o atacante boliviano precisou sair de campo após reclamar de dores na lombar. Ele acabou dando vaga ao garoto Thiago, que também não conseguiu fazer como em outros jogos, quando deixou sua marca.

No segundo tempo a Caldense não se escondeu do jogo e atacava o Cruzeiro sem medo. As subidas do time de Poços de Caldas ao ataque por algumas vezes pegou o sistema defensivo celeste desarrumado.

E o goleiro Fábio, apreensivo, trabalhava para evitar o gol. Não fosse o camisa 1 celeste tudo poderia ter sido definido antes, tendo em vista a vantagem da Caldense.

Depois da meia hora de bola rolando na segunda etapa a Veterana, satisfeita com o resultado que a classificava para a próxima fase, se fechou na defesa, jogava com o regulamento de baixo do braço e esperava "aquela bola" para um contra-ataque.

E não deu mesmo para o Cruzeiro, que fica fora da fase final do Campeonato Mineiro após 62 anos.

Fonte: Hoje em Dia