Sonhos, planos e realizações, essas três palavras tem algo em comum, pelo menos para a Associação Acolhendo Sorrisos, da Várzea da Olaria. Isso porque antes da pandemia, os três pilares estavam traçados, mas foram interrompidos pelo Coronavirus. A entidade que realizava o acolhimento de crianças, promovia atividades culturais e fazia shows beneficentes para a comunidade deixou de realiza-los no mês de março, quando o primeiro decreto se instaurou na cidade.

Além de toda essa gama de atividades, a Associação também oferecia antes da pandemia, nove oficinas, todas com professores voluntários. Sendo elas: manicure e pedicure, auto maquiagem, limpeza de pele, zumba, capoeira, crochê, trançado em fitas, depilação, espanhol e atendimento psicológico. As oficinas são gratuitas e atendem a média 90 pessoas que moram na comunidade.

Antes de todo esse reboliço que a doença trouxe a cidade, a Associação resolveu construir um novo galpão em seu lote próprio, para oferecer mais comodidade as crianças e usuários do espaço. A entidade até conseguiu construir o local, mas teve o problema de não poder promover festividades para angariar fundos e cobrir as despesas da construção e começar a traçar novos projetos. Com isso uma dívida de R$ R$ 8.789,00 de materiais utilizados na obra ficou pendente. Para contornar a situação a Associação passou a promover bazares solidários, com a venda de roupas doadas pela comunidade a um preço de R$2, que ocorre todo início de mês e conseguiu pagar parte da dívida, fazendo com que o valor devido restante ficou em R$3 mil. De acordo com o Presidente da Associação, Alexandre Belo, os bazares até o momento estão cobrindo as despesas mensais, além disso, outra alternativa foi adotada para liquidar o valor devido. “Para quitar essa divida da construção estamos com uma rifa de uma panela Air Fryer, quem tiver interesse em ajudar a vender ou comprar as rifas pode nos contatar pelo telefone (37) 984256601”, pontua.

 

Sonho de uma creche

Não basta apenas fazer o trabalho social, mas também é preciso ter visão de futuro e persistência. A entidade é composta por 15 membros voluntários que tem um sonho antigo de construir uma creche no fundo do terreno, que foi doado pela Associação Itaúna Motos, que foi extinta.

De acordo com os coordenadores da Associação Acolhendo Sorrisos, o terreno doado tem a metragem total de 3.098 m², e a planta da Creche que está pronta e regulamentada na prefeitura é composta por um pavimento, sendo cinco salas, área de circulação, sala de administração, recepção, sala de atendimento, dois banheiros e varanda. Além disso a área externa da planta contempla um galpão com uma quadra, mais dois banheiros, área de armazenamento de materiais e outra varanda. Segundo Belo, a construção ficará em torno de R$1 milhão, sendo um valor alto, a entidade realizará o projeto por partes até conseguir concretizar. “Esse sonho é antigo, aqui na Várzea da Olaria não temos uma creche, várias mães precisam deixar seus filhos para trabalhar, muitas das crianças que participavam de nosso projeto poderiam ser cadastradas nessa creche. Todo o projeto já está pronto, já temos inclusive a planta da estrutura, faltam apenas os recursos. Faço um apelo aos empresários de Itaúna e até mesmo aos políticos, que nos ajudem a realizar esse sonho”, solicita.

Fonte: Jornal S’passo