A Prefeitura de Divinópolis informou nesta quinta-feira (25) que enviará a documentação necessária para adesão ao programa do Governo do Estado "Minas Consciente", que prevê a retomada gradual das atividades econômicas nos municípios mineiros, neste período de pandemia do novo coronavírus.

A reportagem fez contato com a Secretaria de Estado de Governo (Segov) para ter acesso à lista atualizada das cidades da região que já aderiram ao programa, mas não obteve retorno até o fechamento da reportagem.

O "Minas Consciente" visa orientar as prefeituras a tomarem decisões de reabertura comercial com mais segurança, diante da pandemia. O secretário de Saúde Amarildo Sousa informou que o município de Divinópolis está preparado para adotar as ações do programa.

"Agora vamos providenciar toda a documentação necessária para adesão. Vamos enviar as ações de enfrentamento ao coronavírus ao Estado. Por enquanto, vamos aguardar um parecer, mas o que o Estado já nos garantiu é que vai avaliar as peculiaridades do município", destacou.

Amarildo ainda ressaltou a importância de seguir as recomendações do Estado quanto à reabertura das atividades econômicas. “Fizermos uma reunião com o secretário de Estado e superintendente. A importância é que se trata de uma ação regionalizada. Divinópolis, por ser uma cidade polo, sofre interferência das cidades vizinhas. É importante que os municípios façam a adesão para que as ações sejam uniformes e concentradas", destacou.

Adesão no Centro-Oeste

Em maio, a reportagem divulgou que cinco municípios no Centro-Oeste de Minas foram autorizados pelo Governo Estadual a participarem da "Onda Branca" do "Minas Consciente". A liberação não significa que as cidades devem aceitar a proposta do governo estadual.

Os municípios que tiveram autorização para participar do programa na região são: Abaeté, Maravilhas, Papagaios, Pompéu, e Quartel Geral.

Segundo o Governo de Minas, o programa é destinado à possibilidade de flexibilização das medidas de isolamento social de forma responsável, permitindo a retomada gradual, progressiva e regionalizada, embasada em critérios e dados epidemiológicos, a partir de um monitoramento constante da situação pandêmica e da capacidade assistencial.

Caso os municípios aceitem a adesão ao programa, eles poderão aplicar novos direcionamentos de flexibilização. Lojas de artigos esportivos, jogos eletrônicos, produtos agrícolas, fogos de artifício, de móveis e de objetos de arte, por exemplo, poderão voltar a funcionar, caso as respectivas prefeituras adotem o plano.

 

As atividades listadas pelo plano são:

Antiguidades e objetos de arte;

Armas e fogos de artifício;

Artigos esportivos;

Produtos agrícolas, plantas, floriculturas;

Móveis, tecidos e afins;

Formação de condutores;

Outras atividades assessórias.

'Minas Consciente'

A reabertura das atividades obedece aos critérios estipulados pelo Governo de Minas Gerais, baseados em estudos técnicos. Essa retomada também leva em consideração os indicadores da taxa de incidência de casos confirmados e a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

 

"Não é volta à normalidade. É volta a uma nova normalidade. Vamos talvez entrar o ano de 2021 com esses protocolos de segurança. É uma mudança de vida com a qual temos que ir nos acostumando", frisou Romeu Zema no lançamento do programa.

 

Ondas

O programa "Minas Consciente" setoriza as atividades econômicas em quatro ondas (onda verde – serviços essenciais; onda branca – baixo risco; onda amarela – médio risco; onda vermelha – alto risco), a serem liberadas para funcionamento de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e de propagação da doença.

 

Fonte: G1