A multa para quem organizar festas e provocar aglomerações durante a pandemia do novo coronavírus foi triplicada pela Prefeitura de Cláudio. Uma reunião realizada nesta segunda-feira (22) definiu que donos de estabelecimentos onde ocorrerem eventos com aglomeração de pessoas serão multados em R$ 3 mil.

Durante a reunião no gabinete do Prefeito José Rodrigues Barroso de Araújo (PRTB), o tenente Marco Aurélio do Couto afirmou que a Polícia Militar (PM) dará o suporte necessário para a equipe da Prefeitura durante a fiscalização.

Além do valor da multa, o Executivo vai publicar, nos próximos dias, um novo decreto restringindo algumas atividades.

Município intensificará fiscalização de controle da pandemia e editará novo decreto restringindo atividades. O telefone para fazer denúncias em caso de descumprimentos das medidas durante a pandemia é o (37) 99807 1548.

 

Bebidas alcoólicas

Em maio, um decreto publicado pela Prefeitura restringiu a venda de bebidas alcoólicas para ser consumidas no estabelecimento. A medida visava reduzir aglomerações depois de a cidade ter confirmado três casos de coronavírus em uma semana.

A norma proibia a aglomeração, em qualquer número de pessoas, para consumo de bebida alcoólica na porta ou adjacência de bares, restaurantes e supermercados. O dono do estabelecimento seria responsabilizando assim como quem estivesse consumindo o produto

Na cidade, algumas atividades estavam suspensas em diversos segmentos e foram flexibilizadas pelo prefeito José Rodrigues Barroso de Araújo (PRTB) por meio de decreto. Uso de máscaras é obrigatório na cidade.

 

Plano estratégico

O plano estratégico complementar tem norteado as medidas preventivas contra a disseminação do novo coronavírus, que devem ser respeitadas. O não cumprimento das determinações acarretará para o proprietário do estabelecimento multa que, antes da reunião desta segunda, era de R$ 1.000.

A Prefeitura destacou que os donos de bares, academias de ginástica, entre outros, devem ficar atentos às normas de funcionamento. Reuniões de caráter religioso também foram flexibilizadas desde que seja observada a capacidade reduzida dos espaços. Na mesma situação estão as instituições privadas de ensino voltadas para cursos profissionalizantes, pré-vestibulares e similares.

O prefeito também assinou o decreto nº 460, que torna obrigatório o uso da máscara para entrada e permanência em qualquer estabelecimento comercial do município.

Fonte: G1