O setor de Fiscalização da Prefeitura de Itaúna e a Polícia Militar (PM) iniciaram, nesta segunda-feira (23), o cumprimento da portaria que determina a suspensão temporária dos alvarás de localização e funcionamento e/ou autorizações emitidas para a realização de atividades com potencial de aglomeração de pessoas.

Resistir ao cumprimento é crime e o valor da multa aplicada é de R$ 9 mil, conforme a Prefeitura.

Segundo o Executivo, a fiscalização se estenderá durante toda a quarentena. A portaria determina medidas que visam o enfrentamento da pandemia causada pelo novo coronavírus, a Covid-19.

No primeiro dia de fiscalização, as equipes percorreram diversos pontos da cidade, orientando e fazendo cumprir a determinação. Oito fiscais de posturas e um representante do Procon participam das ações.

“Alguns resistiram, mas acabaram se conscientizando da necessidade, não sendo necessário aplicar multas. Apenas em um caso houve negativa, mas a Polícia Militar prontamente se juntou à equipe e conseguimos dialogar e atingir o objetivo. As ações continuarão e serão ampliadas a partir desta terça-feira”, explicou um dos agentes.

O Procon de Itaúna está com dois canais para receber denúncias quanto ao funcionamento irregular de estabelecimentos: ouvidoria-coronavirus@itauna.mg.gov.br ou pelo telefone (37) 3241-2202.