Especialistas alertam para o risco de colesterol alto em adultos e crianças

06 SET 2019
06 de Setembro de 2019

Por Luiz Henrique Machado

Imagine carregar dentro do seu corpo uma bomba silenciosa, que não dá sinais de estar ali instalada e pode explodir a qualquer momento. Essa é realidade de quem possui colesterol alto, ou seja, quase 40% da população, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Estima-se que mais de 1/3 das pessoas do planeta possuem taxa de LDL (o colesterol ruim) elevada no organismo. Esse mal, que não gera sintoma algum, é um dos principais fatores de risco de doenças do coração. “Em excesso no sangue, o colesterol LDL se deposita nas veias e artérias. Isso pode obstruir os vasos e causar infarto e AVC.

O colesterol alto, problema normalmente associado a adultos pode afetar também as crianças. As causas para o alto índice em todas as faixas etárias podem ser a hereditariedade e a má alimentação constante. 

O colesterol é um importante indicador de algumas doenças como aterosclerose, obstrução das artérias, infarto, derrame, aneurisma e problemas nos rins. A doença em uma criança pode ser hereditária, principalmente se o pai teve alto índice de colesterol com menos de 55 anos de idade.

De acordo com a médica endocrinologista Cynthia Valério, as crianças que já têm antecedentes de colesterol alto na família devem fazer o exame e começar a cuidar da alimentação logo que descobrir o problema, para a médica o colesterol normal para uma criança de 10 a 12 anos é abaixo de 100.

“Se a criança tiver o estilo de vida inadequado, alimentação muito rica em gorduras saturadas e sedentarismo podem colaborar para o colesterol alto, mas infelizmente temos que observar hoje as causas genéticas, se acriança tiver níveis elevados, comece a readequação da alimentação e procure um médico”, afirmou.

Para você ter uma ideia do quão perigoso é o colesterol alto, saiba que quase 30% das mortes em todo o mundo são causadas por doenças cardiovasculares. Só no Brasil são 300 mil óbitos ao ano. Ou seja, praticamente uma pessoa morre a cada dois minutos em nosso país devido a um problema no coração.

Apesar disso, 70% dos brasileiros afirmam não se preocupar com o colesterol alto e 67% sequer sabem o nível atual da substância em seu corpo (que é descoberto com um simples exame de sangue). Os dados são de uma pesquisa da SBC, realizada a pedido da Sanofi, empresa farmacêutica que lançou recentemente o Praluent, medicamento que reduz a taxa de LDL no organismo.

 

Segundo Ricardo Meirelles, que é integrante do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia, as doenças causadas pelo colesterol alto podem ser evitadas com um estilo de vida e alimentação saudáveis.

“A maioria das pessoas que tem o colesterol alto, jamais souberam que tem, a pessoa só vai saber após a realização de exame de sangue. Se for uma elevação pequena do colesterol basta você readequar a sua vida alimentar. Agora se for índices altos você tem que fazer o uso de medicação, se não, você não vai conseguir resolver o problema”, destacou.

Para minimizar o risco de problemas cardíacos, o ideal é que a taxa de colesterol total (LDL + HDL) fique abaixo de 190 mg/dl, e a de HDL seja maior do que 40 mg/dl.

Ter uma alimentação equilibrada, praticar atividades físicas, evitar o tabagismo e ficar dentro do peso ideal ajuda a manter o colesterol sob controle. No entanto, em boa parte dos casos, o nível elevado da substância no organismo está ligado a questões genéticas.

Voltar

Rádio Líder FM 102,7 Rua Dona Tereza, 25, Cerqueira Lima – Itaúna - MG    

Fone: (37) 3242-3100