Ônibus sucateados atrasam transporte e maltratam passageiros em Itaúna

11 FEV 2019
11 de Fevereiro de 2019


Passageiros cansaram de realizar reclamações e a situação continua a mesma

 

Não é de hoje que os usuários do transporte público reclamam das péssimas condições do serviço oferecido pela empresa Autotrans em Itaúna. Ônibus velhos e sucateados, atrasos, veículos lotados e a jornada de dupla função fazem parte da rotina diária da maioria das pessoas que depende do transporte coletivo na cidade. Até quem trabalha como motorista também sofre com as más condições da frota e com a função de cobrador realizada também pelo motorista.

Devido à situação, sobram reclamações por parte dos usuários. Os relatos mais comuns são os de viagens perdidas porque o ônibus não suportou o percurso e sobre a dupla função exercida pelos motoristas, algumas pessoas afirmam sobre o perigo do motorista realizar a cobrança das tarifas do coletivo e a atenção ao trânsito. “Eu acho muito errado não ter trocador no ônibus, acumula a função do motorista, ele fica sem atenção, demora demais para passar porque forma filas, sem contar que tem várias pessoas precisando trabalhar e eles não colocam”, afirma usuária do ônibus que faz o trajeto de Santanense.

Outra que reclama da precariedade do serviço é a Maria das Graças Gonçalves, moradora do bairro Garcias usuária dos ônibus Circular 1 e 2 ou Cidade Nova/Via Piedade.

Ela conta que a situação incomoda desde o momento em que o passageiro entra no veículo com o atraso pelo fato de não ter trocador. “O motorista fica sem saber se vai cobrar, se ele vai dirigir ou prestar atenção, isso atrasa o horário demais. Além de estar muito sucateado, o ônibus que é velho, não serve para a capital mandam para Itaúna,” reclamou.

Outra reclamação constante é o preço da passagem de ônibus que sobe constantemente. “Está caro demais, a empresa não paga trocador e os ônibus estão uma porcaria. Fomos na câmara, pedimos para diminuir pois o preço do diesel abaixou e o valor continua no mesmo. A nossa passagem é a mais cara da região Centro-Oeste”, completou Maria das Graças.

Riscos de Vida e Insegurança no Volante

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) no "Art. 6º São objetivos básicos do Sistema Nacional de Trânsito: I - estabelecer diretrizes da Política Nacional de Trânsito, com vistas à segurança, à fluidez, ao conforto, à defesa ambiental e à educação para o trânsito, e fiscalizar seu cumprimento".

A Política Nacional de Trânsito é algo que existe, mas não se tem na prática. A dupla função do trabalhador, como motorista e cobrador, o coloca em perigo de vida, pois, apesar de dizerem que o motorista só pode colocar o ônibus em movimento depois de dar o troco, por exemplo, não ocorre realmente isto. O motorista tem que cumprir o horário de percurso imposto pela empresa de ônibus, em cada ponto há fiscal que monitora o tempo gasto ao percorrer dada distância, os passageiros não querem perder mais tempo do que já perdem nas filas intermináveis nos pontos de ônibus.

Não se pode esquecer que o simples ato de conduzir automotor já é desgastante, o que dirá do acúmulo de funções, com o de cobrador. O ato de dirigir exige concentração, coordenação motora, vigilância constante na condução veicular, prevenção aos possíveis acontecimentos inesperados, carga de estresse muscular. Mesmo que o motorista venha a colocar o veículo em movimento só depois de dar o troco, por exemplo, há maior desgaste mental. Dar troco não exige maiores conhecimentos matemático, alguns dirão, justificando, assim a dupla função, mas imagine a adrenalina que o motorista-cobrador é submetido, como troco errado, falta de troco, xingamentos pela falta de troco, há ainda a falta de civilidade no trânsito tornando tudo mais estressante.

A responsabilidade do motorista de ônibus, seja ele somente motorista ou acumulando a função de cobrador, é objetiva, ou seja, ele é o culpado por qualquer acidente que venha a ferir tanto os passageiros quanto os pedestres, os ciclistas e demais condutores de automotores.

Em resposta ao setor de jornalismo da rádio Líder, a empresa Autotrans informou que que a idade média dos veículos condiz com o que está previsto no contrato e que todos os veículos estão com a manutenção em dia. Seis veículos novos já foram comprados e devem chegar até o começo de março. Problemas identificados pela empresa que afetam as boas condições dos veículos são o mau estado de conservação das ruas e o vandalismo, que são sanados imediatamente quando identificados.

 

Segundo a empresa a retirada do cobrador está prevista em aditivo ao contrato de concessão. Os motoristas são orientados a não dar troco com o veículo em movimento. A transportadora solicita que se isso acontecer, o passageiro deve entrar em contato com o SAC da empresa informando horário do ocorrido, linha, local, número do veículo e, se possível, nome do motorista.

 

“Só recebemos um contato através do SAC em todo o mês de janeiro. Lembramos que a empresa está sempre disponível para qualquer comunicação através de seus canais oficiais, que são a forma mais eficaz de registrar um problema”, afirma a assessoria de comunicação da Autotrans.

 

A empresa destaca que cada cidade atendida pela Autotrans recebe veículos de acordo com sua demanda. O remanejamento de veículos dentro da idade média prevista pelo contrato acontece eventualmente, de acordo com as necessidades locais.

 

Foto: Divulgação/ Populares

 

Por Luiz Henrique Machado

 


 

Voltar

Rádio Líder FM 102,7 Rua Dona Tereza, 25, Cerqueira Lima – Itaúna - MG    

Fone: (37) 3242-3100