Foram identificados e multados responsáveis pelo incêndio criminoso no aterro controlado de Bom Despacho

17 AGO 2018
17 de Agosto de 2018

 Foram identificados e multados em mais de R$ 14 mil pela Polícia Militar do Meio Ambiente os dois homens responsáveis pelo incêndio criminoso no aterro controlado de Bom Despacho, no Centro-Oeste de Minas, que está em chamas desde o último sábado (11). Uma testemunha viu as duas pessoas descarregando um caminhão que transportava papel e, em seguida, utilizando um galão com gasolina, atearam fogo no material. O fato foi denunciado à polícia que fez as buscas e localizou os suspeitos.

O fogo se alastrou rapidamente devido à presença de plástico, borracha, madeira e gás metano. Desde então, a guarnição do Corpo de Bombeiros e mais de 20 servidores municipais, apoiados por quatro máquinas e 10 caminhões, tentam controlar o incêndio. Ninguém ficou ferido.

Segundo o Corpo de Bombeiros (CBMMG), nesta quinta-feira (16), o fogo já não oferece nenhum risco à população nem ao meio ambiente, pois há aceiros no local e não há possibilidades de o fogo atingir a vegetação. Porém, ainda há fumaça no local, uma vez que há tratores revirando o lixo em busca de outros focos de incêndio.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Bom Despacho, no domingo (12) o fogo foi controlado, mas, por causa dos ventos fortes que atingiram a região na segunda-feira (13), as chamas voltaram a se alastrar ao longo do dia.

Ainda de acordo com a assessoria, na noite de terça-feira (14), mais uma vez por causa do vento, o fogo voltou com toda intensidade. Apesar dos esforços dos bombeiros e servidores que trabalharam até por volta da meia-noite, não houve como apagar as labaredas. Na manhã dessa quarta-feira (15), a equipe que combate o fogo mudou a estratégia, e passou a usar terra no lugar de água para controlar o incêndio.

Os suspeitos do incêndio respondem em liberdade pelo crime de incêndio criminoso. Se condenados, podem cumprir pena de três a seis anos de prisão.

Situação de Emergência

Considerando a extensão e a duração do incêndio, o prefeito de Bom Despacho, Fernando Cabral, decretou situação de emergência no município nessa quarta-feira (15). O objetivo é acelerar a obtenção de máquinas, equipamentos e operadores para ajudarem no combate ao incêndio.

Aterro Controlado

O aterro controlado são lugares onde o lixo é disposto de forma controlada e os resíduos recebem uma cobertura de terra. No entanto, os aterros controlados não recebem impermeabilização do solo nem sistema de dispersão de gases e de tratamento do chorume gerado, ou seja, os aterros controlados são uma categoria intermediária entre o lixão e o aterro sanitário.

Em nota, a Prefeitura de Bom Despacho informou que a cidade e os municípios vizinhos não têm aterro sanitário. Não por falta de vontade, mas por falta de dinheiro. Não há dinheiro para construir aterros. “Na nossa região, 34 municípios estão unidos em consórcio para construir aterros regionais. Entre elas, Divinópolis, Nova Serrana, Pitangui e Bom Despacho. Mas, mesmo com o consórcio ainda não foi possível levantar o dinheiro necessário. A despeito de todas as dificuldades, em Bom Despacho esperamos ter o Aterro Sanitário operando no primeiro semestre do ano que vem.”.

Segundo a Prefeitura de Bom de Despacho, o aterro controlado do município recebe em média 50 toneladas de lixo por dia. São descartados no local resíduos doméstico e público apenas de Bom Despacho. A prefeitura não autoriza que cidadãos joguem lixo no aterro municipal.

Fonte: Hoje em Dia

Voltar

Rádio Líder FM 102,7 Rua Dona Tereza, 25, Cerqueira Lima – Itaúna - MG    

Fone: (37) 3242-3100